regresso à bibliografia

 Manuel Abranches de Soveral

 

 

 

«O país dos mitos»


Pequeno conto publicado na rubrica «Gavetas do Tempo» do jornal «O Comércio do Porto»

- Ainda bem que te encontro. Sabes a última?

- Sei lá se sei...

- A bronca do Ximenes!

- O truta?

- Claro! Imagina tu que o banco que lhe financiou o partido, afinal, não existe!!

- O quê: era dinheiro político?

- Não, homem. Pior! Não houve sequer dinheiro.

- ?!?

- Não percebes? Nunca existiu dinheiro nenhum, nem houve qualquer financiamento. Tudo não passou duma ficção!

- Ora essa! Mas todos s jornais falaram nos cinco milhões... Todos sabíamos da sua existência... Eu próprio cheguei a ser contactado...

- Também eu...

- Mas para que raio foi toda essa mistificação?

- Pois aí é que está o escândalo todo!

- O quê: há mais?!

- Se há... O que pensas então tu que está por detrás disto tudo?

- Sei lá! Isto é uma terra de doidos...

- O pseudo-financiamento só teve uma razão de ser: dar consistência ao partido! Dar-lhe credibilidade!

- Não me digas que...

- Pois é, meu velho: o partido também não existe!!

- Pode lá ser! Mas eu até fui contactado...

- Também eu...

- Não me lixes!

- Eu não lixo nada! Eu estou é lixado.

- Eu bem digo: isto é um país de doidos!

- E sabes o que estou a pensar?

- Não sei nem quero saber mais nada!

- Pois é: o facto é que cada vez me convenço mais de que o próprio Ximenes também não existe!...

 
.
regresso à bibliografia